Este site utiliza cookies para lhe garantir uma melhor experiência. Você pode revisar as configurações de cookie do seu navegador.
compre com pontos
Diversão com economia

Do que é feito o salame? Descubra os segredos da charcutaria

Ficou curioso para descobrir do que é feito o salame? Então esta é a oportunidade de você conhecer as características desse produto que vem sendo feito há séculos em diferentes partes do mundo.

A arte dedicada à conservação de carnes usadas na produção do salame e outros embutidos – como linguiças, presunto, mortadela, peito de peru, etc. – é chamada de charcutaria.

Esse nome começou a se popularizar no século XV. Era usado para se referir às lojas de produtos feitos com carne, sobretudo de porco, mas logo as pessoas passaram a atribuir o termo às técnicas de conservação de alimentos.

Graças a elas, os alimentos perecíveis podiam ser conservados por mais tempo. Dessa forma, garantiram a sobrevivência de muitos povos durante períodos de escassez ou longas migrações.

Com o passar do tempo, a arte da charcutaria foi se aprimorando, dando origem a novos produtos. E o salame é apenas um deles, com uma diversidade de tipos para todos os gostos.

Vem com a gente saber mais sobre ele!

Quais são os tipos de salame mais conhecidos?

Saiba que existem no mundo vários salames diferentes. Todos eles têm em comum o fato de serem feitos a partir de carne bovina ou suína. Já os demais ingredientes variam conforme o tipo, como vamos ver a seguir:

Salame italiano

Aqui no Brasil, o salame italiano é um dos mais consumidos. Ele pode ser feito com carne de boi ou de porco e seu sabor característico está associado aos temperos utilizados: alho, coentro e noz moscada.

Salaminho

O salaminho também está entre os mais populares. Embora tenha os mesmos ingredientes do salame italiano, seu sabor é mais suave e a espessura é menor – o que explica o nome dele.

Salame hamburguês

Já o salame hamburguês tem um diâmetro maior e tem um sabor diferente por conta dos temperos. Além da pimenta preta em grãos, pode levar cravo, coentro, cebola, pimenta malagueta e páprica doce.

Apesar de ser um alimento muito consumido mundialmente, poucas pessoas sabem do que é feito o salame e seus principais tipos.

Salame milano

O salame milano tem esse nome por conta da sua origem – produção própria de Milão, na Itália. Ele é feito apenas com carne suína e a distribuição tanto da gordura quanto da carne costuma ser mais homogênea. No quesito temperos, esse tipo leva noz moscada, alho e pimenta.

Salame alemão

O salame alemão também é feito somente com carne suína. Entre os principais temperos usados estão o alho e a pimenta preta.

Salame calabrês

O salame calabrês tem esse nome por conta da presença da pimenta calabresa. Além dela, ele também leva na receita cebola, pimenta malagueta e páprica doce. E outra característica dele é a espessura grossa.

Existem contraindicações para o consumo de salame?

Assim como os demais embutidos, o salame é um dos alimentos que não deve ser consumido em excesso. Depois que você descobre do que é feito fica mais fácil entender por quê.

Além de conter bastante sal, os salames processados costumam ter aditivos químicos que fazem mal à saúde.

É por isso que o melhor é sempre dar preferência aos caseiros, feitos artesanalmente, pois eles não costumam levar nos ingredientes substâncias prejudiciais.

De qualquer maneira, na hora das compras, dê uma olhada cuidadosa no rótulo para verificar do que é feito o salame que você pretende levar para casa.

Já pensou em fazer o seu próprio embutido? 

Além dos conhecidos salames feitos industrialmente, saiba que também existem os salames artesanais. Eles geralmente são produzidos a partir de técnicas tradicionais e usando ingredientes de alta qualidade.

Mas como se iniciar nessa arte?

Simples, fazendo um curso de charcutaria artesanal! No catálogo da Easy é possível encontrar a melhor opção de curso para você aprender tudo o que precisa para fazer os seus próprios embutidos. 

Os cursos completos ensinam os amantes dessa arte a fabricar linguiças frescas e usar técnicas de defumação e maturação para produção de salames, copas e presuntos.

Além das técnicas, você aprende, por exemplo, sobre as classificações dos embutidos, tipos de tripas, moagem de carne, tipos de cortes, riscos para a saúde, uso de equipamentos e muito mais!

E, quando é uma boa ideia servir salame?

O salame é um alimento que combina muito bem com diversas ocasiões, sobretudo aquelas que reúnem várias pessoas.

O salame é o aperitivo perfeito para acompanhar uma taça de vinho ou cerveja artesanal para acompanhar eventos sociais e até mesmo mais íntimos. Ele também pode ser servido como petisco em torradinhas e canapés, combinados com outros ingredientes, como tomate e queijo.

Ainda, o salame também costuma ser bastante usado em sanduíches e pães recheados.

Mas, quando o assunto é culinária, o que vale é a criatividade e a riqueza no sabor dos pratos. Portanto, vale experimentar usar o salame em receitas gratinadas, massas, tortas, entre outras.

Bateu aquela vontade de petiscar salame tomando um bom vinho? Confira agora o guia rápido de harmonização de vinhos e aprenda a fazer a escolha certa!

Publicado por Claudio Albuquerque

CEO da Easy Live. Doutor pela Escola de Política e Filosofia da UFERJ e oriundo do mercado de Corporate Finanças. É, atualmente, o executivo que responde pela área de estratégia e novos negócios da Easy Live.

Compartilhe

Deixe seu comentário