Este site utiliza cookies para lhe garantir uma melhor experiência. Você pode revisar as configurações de cookie do seu navegador.
compre com pontos
Qualidade de vida

Dicas de Brincadeiras na educação infantil e seus benefícios

As brincadeiras na educação infantil são muito mais do que simples passatempos. Elas contribuem de forma bastante significativa para o desenvolvimento das crianças.

Por isso, é importante que os pequenos sejam estimulados a participar dos mais variados tipos de brincadeiras.

Além de oferecer ideias para brincar em casa, vamos falar das contribuições do brincar para o desenvolvimento infantil.

Pronto para ficar por dentro do assunto?

Quais os benefícios das brincadeiras na educação infantil?

Desenvolvimento intelectual e emocional

Mais do que proporcionar momentos de diversão, as brincadeiras na educação infantil ajudam as crianças a desenvolverem diversas habilidades intelectuais e emocionais.

Isso porque elas experimentam ações, pensamentos e sentimentos de todos os tipos. Dessa forma, aprendem a interpretar o mundo, controlar as emoções, planejar, traçar objetivos, etc.

Autonomia

Embora seja importante para a criatividade das crianças criar as próprias regras na hora de brincar com os colegas, vale a pena oferecer um pouco de orientação, sabia?

Ao ter que seguir certas regras em uma brincadeira, elas desenvolvem a autonomia. Afinal, é preciso encontrar maneiras de cumprir as regras sozinho e chegar até o final do jogo.

Raciocínio lógico

As brincadeiras também oferecem estímulos para o desenvolvimento do raciocínio lógico na infância. A partir de novas informações visuais, sensoriais e auditivas, o cérebro cria diversas conexões entre os neurônios.

Sendo assim, mais do que aumentar o repertório, a brincadeira contribui com a funcionalidade da mente das crianças.

As brincadeiras no processo de aprendizagem infantil são fundamentais para desenvolver habilidades indispensáveis

Coordenação motora

Ao colocar as crianças em movimento, as brincadeiras na educação infantil também estimulam a coordenação motora.

Dependendo do tipo de brincadeira, é possível trabalhar desde movimentos maiores e de maior impacto até movimentos de mãos e olhos.

Senso de coletividade

Seja na escola ou em casa com a família, o brincar desperta o senso de coletividade nos pequenos, fortalecendo os vínculos afetivos.

Por meio das interações com outras crianças e adultos, as brincadeiras também promovem a competitividade de forma saudável.

Brincadeiras na infância ensinam as crianças sobre valores como: coletividade, companheirismo e humildade.

10 dicas de brincadeiras para brincar em casa

1. Caixa sensorial

A caixa sensorial é bem interessante para explorar as sensações táteis dos pequenos. Dentro de uma caixa, coloque vários objetos, de preferência com texturas bem diferentes.

A ideia é que as crianças coloquem a mão dentro da caixa, sintam os objetos, descrevam as sensações e tentem adivinhar o que é cada coisa.

2. Quente ou frio

No quente ou frio, uma venda é colocada em uma das crianças enquanto as outras decidem juntas onde esconder um objeto. Pode ser tanto dentro de casa quanto em áreas externas.

Quanto mais perto a criança está do objeto, mais “quente” fica; e quanto mais longe, mais “frio”.

3. Pular corda

Pular corda é uma das brincadeiras na educação infantil mais tradicionais e que garante a diversão de crianças de todas as idades. Além de ser uma atividade física, trabalha o foco e a agilidade.

Com uma pessoa em cada ponta da corda e as músicas populares, fica ainda mais interessante.

4. Dragão

Pensada para as crianças menores, a brincadeira também conhecida como “cauda do dragão” é ótima para trabalhar o espírito de equipe, equilíbrio e atenção.

Em fila, os pequenos colocam as mãos nos ombros dos colegas. E uma ponta é a cabeça e a outra, o rabo do dragão. Os movimentos do corpo devem acompanhar a cabeça que tenta pegar o rabo.

5. Autorretrato em tamanho real

Para desenvolver as habilidades artísticas, autoestima, aceitação e amor próprio, o autorretrato em tamanho real pode usar vários materiais, como tintas, canetinhas, colagens, etc.

A criança deita numa folha de papel kraft e com a ajuda de um adulto é feito um contorno do corpo inteiro. Depois, o papel é recortado e a criança pode desenhar e pintar as próprias características.

6. Circuito de obstáculos

O circuito de obstáculos funciona como uma competição, em que as crianças precisam terminar um trajeto dentro do tempo.

Esse trajeto pode ser como uma pista em que os obstáculos são feitos de pedaços de madeira, cordas, pneus e o que tiver à disposição.

7. Cama de gato

Cama de gato é aquela brincadeira de trançar um barbante entre os dedos das mãos para formar figuras diferentes, que vão se transformando com cada troca de dedos.

Uma opção também é usar um elástico e fazer as figuras com os movimentos das pernas de duas crianças.

8. Adivinhação

O jogo de adivinhação é excelente, pois estimula ao mesmo tempo o raciocínio lógico, a linguagem e a imaginação dos pequenos.

Basta pensar num animal ou objeto e dar pistas para que a criança descubra o que é. As perguntas com respostas de “sim” ou “não” deixam a brincadeira mais desafiadora.

9. Mapa do tesouro

No mapa do tesouro, a família inteira pode participar. Você pode desenhar um mapa da casa e desenhar pistas que levem até o tesouro escondido.

As pistas também podem estar espalhadas nos ambientes da casa, instigando a criança a descobrir o que elas significam.

10. Jogos de tabuleiro

Os jogos de tabuleiro continuam sendo passados de geração em geração, pois, além de divertidos, ajudam a desenvolver inúmeras habilidades importantes, como foco, estratégia, lógica, memória, entre outras.

Entre as opções mais conhecidas estão xadrez, dama e gamão. Se não tiver um tabuleiro em casa, use a criatividade e construa um junto com o seu filho.Quer outras dicas do que fazer em casa com os pequenos? Confira as melhores atividades para crianças se divertirem!

Publicado por Claudio Albuquerque

CEO da Easy Live. Doutor pela Escola de Política e Filosofia da UFERJ e oriundo do mercado de Corporate Finanças. É, atualmente, o executivo que responde pela área de estratégia e novos negócios da Easy Live.

Compartilhe

Deixe seu comentário